quarta-feira, 27 de março de 2013

Grilos e Gafanhotos





Macrofotografia - Fotografando Grilos e Gafanhotos

Primeiramente vamos tirar uma dúvida muito comum. 
Qual a diferença entre grilos e gafanhotos?

Existem uma série de diferenças entre grilos e gafanhotos, mas a mais marcante eu diria que é a diferença do formato das antenas, os gafanhotos possuem antenas curtas e grossas enquanto os grilos possuem antenas mais longas com mais de 30 segmentos e um pouco mais finas, essa é uma diferença bem básica mas o suficiente para diferenciar as espécies.

Como fotografar Grilos e Gafanhotos:

 A primeira coisa é encontrar o inseto, geralmente os grilos e gafanhotos são encontrados em vários tipos de vegetação, de qualquer forma são geralmente encontrados em áreas de capinzais, troncos de árvores, plantas rasteiras e até em flores, não costumam ser muito difíceis de visualizar basta olhar com atençao exeto os muito pequenos ou com cores muito similares ao local onde estão, pois alguns são bem camuflados.

Esses insetos tem comportamentos variados, alguns são mais ágeis e outros mais pacatos, já encontrei alguns que ficaram imóveis e outros que saltaram assim que me aproximei, como sempre costumo frisar a aproximação é um aspecto importante, deve-se sempre ir se aproximando bem lentamente para não espantar o inseto.

A grande maioria possui o corpo bem opaco o que facilita o uso do flash evitando reflexos indesejados, no caso de algum ter a cor muito parecida com o plano de fundo é importante destacar bem o assunto, caso contrário o inseto ficará apagado na imagem, a não ser que queira justamente mostrar a camuflagem.


Metamorfose dos gafanhotos
 Ao sair do ovo, a larva já é muito parecida com a forma que terá quando adulta, só que sem asas.
A cor também vai mudar quando crescer, seu tamanho aumentará e o aparelho reprodutor não está todo desenvolvido.
Como está "quase pronta", sua metamorfose não precisará ser completa.
Gafanhotos, libélulas e cigarras são típicos insetos hemimetábolos.
Ao sair do ovo, a larva do gafanhoto chega à superfície do solo, onde procura alimento e abrigo. Durante cinquenta dias sofre mudas de pele. Quando a última muda está para se realizar, o gafanhoto pendura-se num galho pelas pernas traseiras e permanece assim, de cabeça para baixo, durante algum tempo.
Então rompe-se o tegumento na região dorsal anterior de seu corpo e surge um gafanhoto adulto, com asas.

Essa é uma das maiores espécies de gafanhoto, o indivíduo adulto chega aos 11cm, na foto abaixo temos um indivíduo ainda jovem.
Stacking de macro combinando 39 exposições com  ampliação de 1:1.
O fémur das pernas posteriores dos gafanhotos são muito grandes e fortes, o que lhes permite deslocarem-se com longos saltos.
Área cropada da imagem acima.

 Gafanhoto verde gigante
Encontrei este gafanhoto verde de 15cm repousando em uma pequena árvore seca, aproveitei as boas condições de luz natural para fotografar sem o flash, sempre que possível  fotografo sem a utilização do flash, a iluminação natural proporciona um resultado mais fiel e suave.


Toothpick Grasshopper (Leptysma)
Visualizei este gafanhoto-palito-de-dente (Leptysma) em meio a vegetação de transição entre Cerrado  e Mata Atlântica, consegui enxergá-lo graças a sua coloração bem chamativa, e também por estar posicionado em uma planta seca, ele se manteve imóvel por um certo período de tempo o que me possibilitou aproveitar mais a iluminação natural utilizando tempos de exposição mais longos 1/4s mas não foi o suficiente e nem seria necessário um empilhamento de foco, pois o corpo deste gafanhoto é extremamente esguio, bem fininho mesmo, uma única exposição foi o suficiente para conseguir que o corpo dele inteiro permanecesse na área em foco.

Gafanhoto field stack
Encontrei esse gafanhoto de 5cm pousado em um galho seco, inicialmente efetuei apenas um disparo pois ele se movimentava demais para tentar a técnica de empilhamento de foco, mesmo assim resolvi tentar, fiquei cerca de 30min para acabar a sessão de fotos, acabei perdendo alguns frames no pós processamento mas consegui "montar" o stack.
31 exposições com iluminação a luz natural e rebatedor prateado na parte de baixo combinadas manualmente com o Photoshop CS6.

Gafanhoto brasileiro (Chromacris speciosa)
Esse é o gafanhoto brasileiro (Chromacris speciosa), apelidado dessa forma pelas cores presentes na bandeira do Brasil, fiz esse registro em 2010 com uma câmera compacta Canon A590IS.

Beijo do Grilo
O título da foto remete a posição da patinha do grilo que faz parecer como se ele estivesse mandando um beijo, mas na verdade só está limpando a patinha mesmo. rsrs
Canon EOS600D com Lente Canon MP-E65mm, flash Integrado, flash 480EXII e difusores.
Esse espécime de grilo tem algumas peculiaridades, entre elas o tamanho (6cm) que é bem grande em comparação a outros espécimes e também o comportamento, ao contrário da maioria, esse não se intimidou com a câmera e permitiu tranquilamente minha aproximação.

Cópula de gafanhotos
A reprodução dos gafanhotos é sexuada: o óvulo libertado pela fêmea só se desenvolverá depois da fusão com o espermatozóide libertado pelo macho. Na cópula, o gafanhoto macho, de menor dimensão, adere ao dorso da fêmea, abraçando-a e introduzindo-lhe a peça copuladora no poro genital, onde descarrega os espermatozóides.

Esperança (Tettigoniidae)
Essa jovem esperança se camuflava entre as folhas, por sorte a encontrei e fiz o registro, o que dificultou um pouco foi conseguir a exposição correta pois muitos tons de verde se misturavam, optei pela utilização do flash com uma velocidade do obturador mais rápida e menor abertura, isso resultou em um plano de fundo mais escuro destacando mais o assunto.

Gafanhoto comedor de folhas
Esse gafanhoto de 3cm não se assustou com a minha aproximação e continuou tranquilamente devorando uma folha, aproveitei para fazer alguns cliques.
Canon EOS600D com Lente Canon MP-E65mm, flash Integrado, flash 480EXII e difusores.


Micro gafanhoto
Esse é o menor gafanhoto que ja encontrei, ele mede aproximadamente 7mm e ainda está em fase juvenil, acredito que ainda recém-nascido. Para essa foto utilizei a objetiva MP-E 65mm que possui grande poder de ampliação, no caso abaixo com ampliação de 3x.

Ecdise de gafanhoto
Por possuírem o corpo revestido pelo exoesqueleto, os artrópodes não crescem continuamente e, dessa forma, precisam trocá-lo algumas vezes para que consigam crescer. A troca do exoesqueleto se chama muda ou ecdise  e pode ocorrer diversas vezes ao longo da vida do animal.

Grilo olhudo
Essa espécie de grilo possui grandes olhos e os usa muito bem, como boa parte dos insetos ele também é munido de audição mas no caso desse aí, a visão é a sua principal forma de perceber o mundo a sua volta. Além de ser extremamente rápido.

Gafanhoto verde
Em meio a folhagem encontrei esse casal de gafanhotos verdes em acasalamento, esses gafanhotos podem atingir cerca de 15cm e em uma única ninhada podem haver dezenas ou até centenas de filhotes.


Grilo cantador
Somente os grilos machos produzem sons e o fazem para atrair as fêmeas para a reprodução. Os machos possuem uma série de pelos nas bordas de suas asas, alinhados como pentes, e produzem os sons roçando uma asa contra a outra.
Existem cerca de 900 espécies de grilos ao redor do mundo e muitas vezes estes são confundidos com os gafanhotos, dos quais são bem diferentes, uma das principais diferenças é o formato das antenas, os gafanhotos possuem antenas curtas e grossas enquanto os grilos possuem antenas mais longas com mais de 30 segmentos e um pouco mais finas.
Em algumas culturas os grilos são tomados como animais de estimação. Na China, o pouso de um grilo em uma pessoa significa muita sorte, e em várias partes do mundo eles são consumidos como alimento.


19 comentários:

  1. Maxwel gostaria de ver você no meu Grupo de fotografia de natureza FANATURE - Fotógrafos de Natureza no Facebook, pois para além de mostrar seus trabalhos muitos de nós aprenderíamos consigo. Eu fiquei seu FÃ
    https://www.facebook.com/groups/fanature.fotografosdenatureza/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente João, fico feliz em receber o seu convite e será um prazer compartilhar minhas fotos e conhecimentos no seu grupo.
      A recíproca é verdadeira, também sou seu fã. Abraço!

      Excluir
  2. Apesar de achar esses bichos asquerosos, as fotos são belíssimas! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que nada, até que eles são bem limpinhos se comparados com nós, os seres humanos... nós sim somos uma bomba de bactérias e doenças. hehe

      Obrigado pelo comentário e elogio!

      Excluir
  3. Eeeu achei um grilo verde gigaate fiquei cm ele cerca de 1 semana alimentado ele e deixando ele no gramado de casa, mas quando tive a oportunidade de soltar ele num campo enorme fiz isso, afinal nenhum bichinho goosta de viver trancado (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em muitos países é bem comum ter insetos como "bichinhos de estimação", acho legal você ter cuidado bem do grilo ao invés de simplesmente matá-lo, os insetos são muito importantes para o nosso ecossistema e devem ser respeitados assim como todas as formas de vida, e parabéns por ter soltado o bichinho na natureza, fez a coisa certa.

      Excluir
  4. Maxwel tudo bem... Em prmeiro lugar parabéns pelo trabalho e pela maneira como expressa...
    Eu sou paisagista e estou agora pesquisando sobre um determinado grilo que tenho aqui.. Posso te explicar melhor depois... Eu gostaria de te enviar uma foto dele para vc ver se consegue me ajudar a chegar mais perto de sua origem, espécie, etc. Qq informação será muito bem vinda... Sei que vc não é entomologista, mas sei que nesses trabalhos acabamos por aprender muito além... Se puder, me envie seu endereço eletrônico... e te envio e lá te explico ..
    Grande Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fabio, me desculpe a demora para responder, não recebi a notificação do seu comentário.

      Claro, pode enviar a foto para meu email: webmaster.admin.max@gmail.com

      Vou pesquisar e chegaremos a espécie exata do seu grilo! rsrs

      Abraço!

      Excluir
  5. Parabéns cara!! Tudo muito bom! Parabéns e continue com esse hoby maravilhoso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Gabriel! Na verdade começou como um hobby e acabou se tornando profissão. rsrs Abs!

      Excluir
  6. Lindas fotos! A natureza é incrível!

    Alice Negrão/ Cananéia - SP

    ResponderExcluir
  7. Apaixonada pelas tuas fotos! Parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Encontrei esses gafanhotos vermelho e preto de tamanho micro, bem miniaturas mesmo! Queria te mandar a foto. Eles estão no sitio tombado onde se localiza a casa do famoso escritor José De Alencar, aqui em Fortaleza CE.

    ResponderExcluir
  9. Fotos muito boas apesar de detestar esses insetos, por quase 3 dias seguidos eles tem entrado aqui em casa sabe-se lá porque, ninguém merece...

    ResponderExcluir
  10. Achei um gafanhoto brasileiro em casa , achei bem interessante... E vim comparar se era o mesmo. Pois bem era o mesmo da foto , pois tem as cores da Bandeira do Brasil .

    ResponderExcluir
  11. Nasci me criei na Amazônia, mais precisamente nas regiões do alto, médio e baixo Tapajós (Fordlândia e Belterra), em áreas cedidas pelo governo brasileiro ao magnata americano Henry Ford, para o plantio racional de seringueiras (Hevea brasiliensis), nos idos dos anos 30.Cresci observando enxertias e a coleta de insetos, os mais diversos. Meu pai era entomologista e se dedicava a estudar os mais diversos insetos polinizadores da Amazônia. Em Belterra havia uma espécie de gafanhoto que conhecíamos como "gafanhoto serra-pau" ou "gafanhoto serrador". Dito inseto fazia muito barulho (mais do que qualquer cigarra barulhenta) ao executar seu afã e serrava com precisão milimétrica galhos de grossura de um lápis comum de grafite e até galhos mais grossos. Hoje estou na cidade e as oportunidades de estar na mata são poucas. Tenho ouvido o trinar dos tais gafanhotos e até galhos serrados, mas nunca mais me detive para observá-los e hoje, contando com tanta tecnologia fotografá-los e até filmá-los. Alguém conhece essa espécie? Meu email: capolinarioc@gmail.com

    ResponderExcluir